DOCUMENTÁRIO • DOCUMENTARY

Algorithms of Beauty

Miléna Trivier
Pode uma imagem conter toda a beleza de uma flor? Entre tecnologia e emoções, Algorithms of Beauty questiona os limites do nosso olhar quando confrontados com imagens de IA.
Can a picture contain all the beauty of a flower? Between technology and emotions, Algorithms of Beauty questions the limits of our gaze when faced with AI images.
CONHECE O REALIZADOR • MEET THE DIRECTOR

Miléna Trivier

O que te inspirou a seguir cinema? Como começou esta tua jornada?
Quando adolescente, adorava fugir pelo cinema. Assim que completei 18 anos, entrei numa escola de cinema em Bruxelas para me tornar diretora de fotografia. Eu sentiame um tanto solitário nessa escola porque não compartilhava o mesmo amor dos meus colegas pelo que chamamos de “bela imagem”. Era atraída pelos acidentes digitais e pela fragilidade de uma imagem.
 
Como descreves a premissa da tua curta-metragem? Qual foi a inspiração para a história?
Algoritmos da Beleza nasceu no cruzamento de duas descobertas que me tocaram profundamente. Por um lado, a constatação de que a inteligência artificial permite criar imagens realistas sem câmara. E em segundo lugar, a descoberta do trabalho de Mary Delany, uma botânica do século XVIII. Já há 200 anos, Mary Delany procurava mostrar flores de forma diferente. O filme cria ligações entre o trabalho dela e as imagens geradas pela IA.
 
Qual é a mensagem que esperas que o público retenha depois de assistir ao teu filme?
O que é importante para mim é que o público tenha prazer e curiosidade em ver o que está ao seu redor depois do filme. Existem tantas imagens ao nosso redor, mas se tivermos consciência disso e continuarmos curiosos, poderemos ter um relacionamento com algumas delas. Reservar um tempo para olhar é algo que realmente sinto que é necessário.
 
Porque achas que a ciência está a receber mais atenção dos cineastas e festivais de cinema atualmente?
Não sei porquê, mas de certa forma parece uma coisa boa, porque é como se os cineastas estivessem a tentar compreender o mundo que os rodeia.
 
O que se segue para o ‘Algorithms of Beauty’? Tens algum projeto em mãos?
Estou muito feliz porque desde o ano passado Algoritmos de Beleza tem viajado muito para festivais, o que é muito emocionante porque significa que o filme está a ser visto em todo o mundo. Ao mesmo tempo, estou a escrever um livro sobre meu encontro com imagens geradas por IA e a trabalhar num novo filme sobre o mistério dos rostos. Também estou a trabalhar como diretora de fotografia no novo filme do meu parceiro, Maxime Coton. O cinema é definitivamente uma grande parte da minha vida…
What inspired you to pursue filmmaking? How did your journey begin?
As a teenager, I loved to escape through the cinema. As soon as I turned 18, I entered a film school in Brussels to become a DOP. I felt rather lonely at this school because I didn’t share the same love as my fellow students for what we call a “beautiful image”. I was more attracted to digital accidents and the fragility of an image.
 
How do you describe the premise of your short film? What was the inspiration behind the story?
Algorithms of Beauty was born at the crossroads of two discoveries that touched me deeply. On the one hand, the realisation that today’s artificial intelligence makes it possible to create realistic images without a camera. And secondly, the discovery of the work of Mary Delany, a woman botanist in the 18th century. Already 200 years ago, Mary Delany was seeking to show flowers differently. The film creates links between the work of this botanist and the images generated by AIs.
 
What is the takeaway you hope audiences leave with after watching your film?
What’s important to me is that audiences have pleasure and curiosity in looking at what’s around them after the film. There are so many images around us, but if we’re aware of that and remain curious, then we can have a relationship with some of them. Taking the time to look is something I really feel is necessary.
 
Why do you think science is getting more attention in films and film festivals these days?
I don’t know why, but it seems like a good thing in a way, because it’s as if filmmakers are trying to understand the world around them.
 
What’s next for ‘Algorithms of Beauty’? Do you have any projects in the works?
I’m very happy because for the past year, Algorithms of Beauty has been travelling a lot to festivals, which is very exciting because it means that the film is being seen all over the world. At the same time, I’m writing a book about my encounter with AI-generated images and working on a new film about the mystery of faces. I’m also working as DOP on the new film by my partner, Maxime Coton. Cinema is definitely a big part of my life…
19 NOV
Disponível para visualização durante 24horas • Available for 24 hours
 
Ano • Year : 2022
Duração • Runtime: 20′
País • Country: Belgium
 
Língua • Language: English
Legendas • Subtitles: English
O Prémio do Público será entregue à curta-metragem que reunir mais votos da audiência. Não poderá votar mais do que uma vez no mesmo filme • The Audience Award will be awarded to the short film that garners the most votes from the audience. You cannot vote more than once for the same film.
Para assistir a esta curta-metragem durante o Festival deverá registar-se. A inscrição é gratuita • To watch this short film during the Festival you must register. Registration is free.