FICÇÃO • FICTION

Survivers

Carlos Gómez-Trigo
A seleção natural diz que só sobreviverá quem se adaptar. E se os humanos se tornarem estúpidos?
Natural selection says that only those who adapt will survive. What if humans have become stupid?
CONHECE O REALIZADOR • MEET THE DIRECTOR

Carlos Gómez-Trigo

O que te inspirou a seguir cinema? Como começou esta tua jornada?
Gosto sempre de contar histórias e escrevo desde pequeno. Os filmes sempre estiveram lá. Nasci nos anos 80, cresci a assistir clássicos, mas sempre achei que fazer filmes era impossível. Fui para a universidade estudar Comunicação Audiovisual, onde aprendi muita teoria da comunicação ou política, mas, novamente, nenhuma prática. Mas tudo mudou quando fiz 27 anos e fui para Barcelona fazer um mestrado em Produção e Realização Cinematográfica, onde se aliaram teoria e prática e onde percebi que um filme pode ser feito fora dos grandes estúdios. O que me inspirou a contar histórias através do cinema foi o poder dos filmes de levar as pessoas a pensarem sobre algo. Nas minhas histórias, tento fazer com que o público faça perguntas sobre nós enquanto sociedade.
 
Como descreves a premissa da tua curta-metragem? Qual foi a inspiração para a história?
A premissa é que se nós, como sociedade, nos tornarmos cada vez mais burros… mereceremos uma segunda oportunidade para reiniciar? Tudo começou com conversas com amigos sobre o quão estúpidos estávamos a tornar-nos (rejeitando a ciência, causando alterações climáticas, permitindo que uma grande parte da população viva em más condições enquanto uma pequena percentagem vive uma vida de luxo…), embora nos consideremos o animal mais inteligente. Levei esse conceito ao extremo, ambientando a trama num mundo pós-apocalíptico para que tudo pudesse começar do zero.
 
Qual é a mensagem que esperas que o público retenha depois de assistir ao teu filme?
O mínimo que quero para eles é que se divirtam. Adoraria que fossem para casa pensar em como podemos tornar o nosso mundo menos estúpido 🙂
 
Porque achas que a ciência está a receber mais atenção dos cineastas e festivais de cinema atualmente?
Penso que vivemos numa era em que o conhecimento (das universidades, da ciência e da academia) é atacado e questionado na maior parte do tempo pelos movimentos políticos. Isto cria incerteza que enfraquece as nossas comunidades e torna mais fácil a adoção de sistemas políticos mais autoritários. Penso que a resposta da arte, neste caso dos filmes e festivais, está a de mostrar o quão importante e vital é a ciência nas nossas vidas e nas nossas democracias.
 
O que se segue para o ‘Survivers’? Tens algum projeto em mãos?
Acabei de terminar uma nova curta-metragem chamada Tribu, ou Tribe em inglês. Trata da perda da individualidade no grupo e da violência sexista. E claro, estou a trabalhar em projetos futuros: uma série e um guião para uma longa-metragem.
What inspired you to pursue filmmaking? How did your journey begin?
I always like to tell stories, and I have been writing since I was little. The movies were always there. I was born in the 80s, so I grew up watching those classics, but I always thought making a movie was impossible. I went to university to do Audiovisual Communication, where I learned a lot of communication theory or politics, but again, no practice. But everything changed when I was 27 years old and I went to Barcelona to do a master’s degree in Film Production and Direction, where theory and practice were combined and where I realised that a film can be made outside of the big studios. What inspired me to tell stories through film is the power of movies to make people think about something. In my stories, I try to make the public ask questions about us as a society.
 
How do you describe the premise of your short film? What was the inspiration behind the story?
The premise is that if we, as a society, become increasingly dumber…do we deserve a second chance to reboot? It all started with conversations with friends about how stupid we were becoming (rejecting science, causing climate change, allowing a large part of the population to live in bad conditions while a small percentage live a life of luxury…), although we consider ourselves the most intelligent animal. I stretched that concept to the extreme, setting the plot in a post-apocalyptic world so that everything could start from scratch.
 
What is the takeaway you hope audiences leave with after watching your film?
The least I want for them is for them to have a good time. And then, I’d love for you to go home thinking about how we can make our world less stupid 🙂
 
Why do you think science is getting more attention in films and film festivals these days?
I think we live in an era in which knowledge (from universities, science, and academia) is being attacked and questioned most of the time by political movements. This creates uncertainty that weakens our communities and makes it easier for them to adopt more authoritarian political systems. I think the response of art, in this case films and festivals, is showing how important and vital science is in our lives and in our democracies.
 
What’s next for Survivers? Do you have any projects in the works?
I just finished a new short called Tribu, or Tribe in English. It deals with the loss of individuality in the group and sexist violence. And of course, I’m still working on future projects: a series and a feature-length script.
19 NOV
Disponível para visualização durante 24horas • Available for 24 hours
 
Ano • Year : 2020
Duração • Runtime: 7′
País • Country: Spain
 
Língua • Language: French
Legendas • Subtitles: English
O Prémio do Público será entregue à curta-metragem que reunir mais votos da audiência. Não poderá votar mais do que uma vez no mesmo filme • The Audience Award will be awarded to the short film that garners the most votes from the audience. You cannot vote more than once for the same film.
Para assistir a esta curta-metragem durante o Festival deverá registar-se. A inscrição é gratuita • To watch this short film during the Festival you must register. Registration is free.